Cultura · Moda

Ficção E Realidade:O Diabo Veste Prada?

Dias desses fiquei zapeando pela tv a procura de um filme pra assistir.Eis que me aparece o Diabo veste Prada passando e claro que assisti mais uma vez assim como  As patricinhas de Beverly Hills,Garotas malvadas e Sex and the city (o primeiro filme porque segundo foi  uó).E vocês acreditam que já fazem 10 anos que acompanhamos a saga da Andy,Miranda e cia.Com um figurino certeiro e atemporal seguindo o mesmo pensamento do figurino de Carrie (sim tô num momento bem saudosista kkk) até porque tiveram a mesma figurinista por trás: a maravilhosa Patricia Field.E quem quiser relembrar os looks achei esse link  Aqui no blog Fashionismo.

unnamed

Além das produções super desejáveis e falando sobre um universo que a gente ama e sonha trabalhar que é a moda.Vi que o filme passa uma mensagem um tanto quanto dúbia.Como assim Jú?Vem que te explico a minha percepção depois de assistir pela milionésima vez.Andy é uma mulher que finge não ligar para a própria aparência porque em sociedade machista mulher vaidosa não pode ser inteligente.Então ela anda pela cidade toda desajeitada a procura de um emprego porque o sonho dela é ser levada a sério na profissão.Só que surge uma oportunidade em trabalhar para umas das revistas de moda mais conceituada que é a Runway.E que quem é que comanda com mãos de ferros por lá?Miranda Pristley que por estar em cargo de comando é tida como autoritária,ditadora e impiedosa.Mais uma mensagem nada empoderadora.

E tudo isso baseado em fatos reais nos bastidores da Vogue America.Triste mais isso ainda acontece e muito.Só que mais além temos o namorido da Andy que pela amor de deus como é que ela volta pra ele?Sério como um cara não fica feliz por ela está crescendo no trabalho?Umas das vantagens de ser um casal é dividir tanto a angústia quanto a felicidade.Sei que Miranda enche o saco com telefonemas fora do horário comercial mas ao invés de apoia-la ele simplesmente faz birra porque ainda é um assistente de cozinha.E depois ele vai pra Boston ser chefe e lógico que ela muda a vida dela pra ir atrás dele.E no meio disso tudo os amigos da Andy ainda ficam contra ela apesar dos presentes de grifes que ganham.

E no final que ela se empenha mais do que a Emily que não faz nada só a manda ir no seu lugar e ria dos seus looks.E óbvio que a Miranda ia a escolher para ir a Paris e óbvio as pessoas a fazem se sentir mal por isso.Como se tivesse “tomado” o lugar da Emily. E essa sensação só piora na Cidade Luz quando Miranda diz pra ela que são iguais por serem ambiciosas e almejarem algo maior em suas carreiras.Isso mesmo a Andy se sente culpada e vai embora.É  como se fosse errado nós mulheres querer e buscar a nossa realização profissional.E que na moda só existe gente assim fria,calculista e egocêntrica.Existem pessoas assim em qualquer ambiente de trabalho seja no hospital,no escritório,lojas e etc.Ela ir trabalhar no New York times não a impediria de achar um chefe homem tão exigente quanto Miranda.

Pois são mensagens que em 2006 jamais conseguiria analisar pelo fato de que hoje temos mais informações sobre empoderamento e acredito que se fosse gravado no momento atual a protagonista seria outra.Sigo amando o filme que apesar dos clichês apresentados é uma história leve e que mostra uma mulher buscando os seus sonhos e com elenco lacrador!Só que agora ao invés do encantamento entra a percepção e o questionamento.E vocês curtem o filme?

Beijos 🙂

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s